Contabilidade Condomínio online

Área do Cliente:


   Menu



Notícias

12.12.2017 -

O Fisco na era digital

Estamos vivendo na era digital, onde a informação é instantânea e está na palma de nossas mãos. Estamos conectados a tudo e a todos diariamente, recebendo e fornecendo dados a todo instante. 


O fisco está aproveitando este momento e, desde 2007, entrou em uma corrida frenética pela automação dos controles e cruzamentos de dados dos contribuintes. Com o advento da NF eletrônica e implementação do sistema público de escrituração digital – SPED, vários contribuintes tiveram que rever seus controles para não ter problemas com o leão.


Atualmente o sistema SPED é um conglomerado de informações dos contribuintes cruzadas com dados oriundos de outras obrigações acessórias, informações bancárias, dados de parceiros e de transações, operações de cartões de crédito e também da declaração de imposto de renda da pessoa física. A complexidade e o nível de detalhamento destas informações são enormes, criando uma base sólida e abrangente para fiscalização digital em tempo real.


Parece coisa de ficção cientifica, mas o fisco conta, inclusive, com inteligência artificial para mapear o “comportamento” dos contribuintes. A ferramenta HAL do Banco Central (apelidado em homenagem ao cérebro eletrônico do filme 2001: Uma Odisseia no Espaço) nos seus primeiros quatro dias de operação criou 150 milhões de pastas, uma para cada correntista no Brasil, interligando CPFs e CNPJs dos titulares. Diariamente estima-se que esta máquina irá registar um milhão de novos registros automaticamente. Agora imagine esta ferramenta trabalhando em conjunto com o sistema Harpia da Receita Federal e os demais instrumentos de controle do fisco estadual e municipal.


Com o cerco fechando cada dia mais o empresário que quer evitar surpresas desagradáveis com o fisco deve a revisar os seus controles internos, organizar os processos, segregar as contas da empresa com a da pessoa física e principalmente buscar assessoria contábil especializada. Podemos afirmar que, a partir deste momento de transição, a saúde fiscal da empresa será fator determinante para a sua prosperidade e continuidade.


Fabrício Poffo – Contador e Coordenador Contábil/Fiscal na Conjel Contabilidade




Compatilhe esta notícia: